domingo, 6 de setembro de 2009

“Quem não está de acordo sofre retaliações”

Um programa silenciado, um grave atentado à liberdade da Comunicação Social e um clima de retaliações. Este é o diagnóstico de Manuela Ferreira Leite, líder do PSD, quanto à suspensão do ‘Jornal Nacional de 6ª, da TVI, e consequente afastamento de Manuela Moura Guedes. No fim da linha, "nunca ninguém saberá o que realmente se passou", mas para a presidente social-democrata acredita que "quem ousa dizer alguma coisa que não está de acordo com o Governo de Sócrates sofre retaliações".

A expressão 'asfixia democrática' voltou ontem ser invocada por Ferreira Leite nas suas primeiras declarações sobre o afastamento de Manuela Moura Guedes. O incómodo manifestado pelo primeiro-ministro em relação ao jornal da TVI e o facto de ter havido uma tentativa de compra da TVI pela PT, denunciada pelo PSD, são dois momentos que contribuem para o clima que se vive. Pacheco Pereira acrescenta: 'Quando um homem de poder ataca um órgão de Comunicação Social numa das suas entrevistas, está a dar uma ordem, não está a emitir uma opinião. O que eu sei é que ele deu a ordem, e que alguém a executou.