sexta-feira, 30 de outubro de 2009

A saga Vale e Azevedo - a Justiça no seu melhor


Neste momento ninguém sabe, nem sequer o seu advogado - nem os juízes, pelos vistos - se fica ou não preso. Absolvido dos principais crimes, condenado em cúmulo jurídico de outros, a coisa dava 6 anos.
Primeiro, em prisão domiciliária, depois preso efectivamente. A seguir libertado, e preso 21 segundos depois. A seguir, ficou completamente livre, apenas com termo de identidade e residencia e neste momento... ninguém sabe como ficará.
É Portugal agora e sempre.