terça-feira, 30 de abril de 2013

Greve no VIP Maputo


Cerca de 140 trabalhadores do Hotel VIP, na cidade de Maputo, paralisaram a actividade ontem, exigindo aumento salarial e o fim do que consideram maus-tratos.
Os alegados maus-tratos, segundo os grevistas, caracterizam-se em insultos e despedimentos sem justa causa, situações essas protagonizadas pelo director daquele estabelecimento hoteleiro, Raul dos Santos.
Os trabalhadores disseram que a direcção tem feito violações ao ponto de obrigar os trabalhadores do hotel a fazerem trabalhos como o descarregamento de materiais de construção para a reabilitação das infra-estruturas, tarefa que não consta do seu contrato de trabalho , entre outras coisas.

 


Greve no VIP Maputo

Afirmaram estar a auferir baixos salários e que há mais de três anos que não há aumento do ordenado. A reportagem do “Notícias” soube que a massa laboral do Hotel VIP exige o aumento salarial de 3500 para 9000 meticais, dadas as múltiplas tarefas que diariamente têm realizado, até as que não estão previstas nos contratos de trabalho.
Perseguições de trabalhadores com mais de cinco anos de serviço, estruturação de processos sem justa causa e descontos inexplicáveis fazem parte da lista dos problemas levantados que os querem ver resolvidos.
Tentativas da nossa Reportagem de contactar a direcção do hotel redundaram num fracasso.


Nota Bloguista: Pois esta pouca vergonha continua não só em Portugal como também em outros países onde o Grupo Vip tem mais hotéis. Pelos vistos a forma de trabalhar e de tratamento é igual para todos os colaboradores em Portugal ou no estrangeiro. Para saberem porque nada funciona em Portugal em relação a este Grupo clique aqui e veja.