sexta-feira, 6 de maio de 2016

Medicina (I)legal



A qualidade das autópsias, dos relatórios e dos exames das vítimas de abuso sexual estão comprometidos devido a excesso de trabalho.

Vários trabalhadores de quadrantes diferentes do Instituto Nacional de Medicina Legal alertam para o excesso de trabalho e terror psicológico no interior do Instituto. A situação já está a ter consequências no trabalho, nomeadamente na qualidade das autópsias, dos relatórios e dos exames das vítimas de abuso sexual.

Veja aqui o vídeo a notícia completa.

Nota de bloguista: Este é o Instituto de Medicina Legal em Portugal muito bem representado pelo Dr. Francisco José Brízida Martins (Juiz Desembargador)