sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Divulgação das conversas no YouTube

"Na minha opinião [as escutas] já deveriam ter sido destruídas. A sua divulgação viola a intimidade da pessoa", afirmou Amílcar Fernandes. O causídico confirmou que alguns colegas que trabalharam no caso Apito Dourado e processos conexos requereram cópias das escutas em áudio, mas disse não ter sido o seu caso. Amílcar Fernandes afirmou que deve avançar uma investigação para "encontrar pistas" sobre a responsabilidade pela divulgação das escutas, acrescentando que não recebeu qualquer instrução do seu cliente nesse sentido. Na sua perspectiva, uma eventual investigação não deve excluir os titulares dos processos e os próprios advogados que pediram cópias das gravações.

Escutas de conversas entre arguidos do processo Apito Dourado, nomeadamente o presidente do Futebol Clube do Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, e o presidente da Câmara de Gondomar, Valentim Loureiro, foram colocadas no YouTube, um site de divulgação áudio e vídeo de acesso livre.

Pinto da Costa anunciou que vai apresentar já hoje uma queixa-crime no Departamento de Investigação e Acção Penal do Porto, enquanto o procurador-geral da República informou que vai abrir "hoje mesmo" um inquérito à divulgação das escutas telefónicas divulgadas na Internet.

Valentim Loureiro, enquanto presidente da Assembleia-geral da Liga de Clubes, o empresário António Araújo, o administrador da SAD do FC Porto Antero Henriques, o ex-líder da arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, Pinto de Sousa e o árbitro Jacinto Paixão são interlocutores das conversas divulgadas.

Nota de bloguista: qualquer pessoa que se dê à diversão de ouvir estes áudios consegue perceber que todos eles têm qualquer trama. Agora estes intervenientes que foram absolvidos no processo vão poder ser condenados na praça pública. Avé comunicação social!!!