sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Ninguém vai preso no Apito Dourado

Os absolvidos e os condenados

Francisco Tavares da Costa, vice do Conselho de Arbitragem, foi condenado por 25 crimes de abuso de poder como cúmplice, a um ano e três meses de prisão, também suspensa.

A Luís Nunes da Silva, ex-vogal do Conselho de Arbitragem e irmão do então treinador do Gondomar, condenado pela prática, como autor, de dois crimes de corrupção desportiva activa e um crime de abuso de poder, foi-lhe aplicada pena de multa.

O tribunal condenou os árbitros Licínio Santos, Pedro Sanhudo, António Eustáquio, Jorge Saramago e João Pedro Macedo por terem beneficiado o Gondomar e, no caso do último o Sousense, contra as regras do jogo, com a expectativa de receberem boas classificações.

Licínio Santos foi condenado por dois crimes de corrupção desportiva passiva a cinco meses de prisão, substituída por multa e fica impedido de exercer cargos ou funções desportivas por três anos.

Pedro Sanhudo foi condenado por três crimes de corrupção desportiva passiva e um crime de corrupção desportiva activa a nove meses de prisão substituída por multa e fica impedido de exercer cargos ou funções desportivas por três anos e seis meses.

António Eustáquio foi condenado por dois crimes de corrupção desportiva passiva a cinco meses de prisão substituída por multa e proibição de exercer cargos ou funções desportivas por 3 anos.

Jorge Saramago foi condenado por um crime de corrupção desportiva passiva a pena de três meses de prisão substituída por multa e a proibição de exercer cargos ou funções desportivas pelo período de 2 anos e 6 meses

João Pedro Macedo condenado por três crimes de corrupção desportiva passiva a sete meses de prisão substituída por multa e proibição de exercer cargos ou funções desportivas pelo período de 3 anos.

Dez arguidos foram absolvidos: Um deles é Castro Neves, vereador da câmara de Gondomar, ilibado de todos os 19 crimes de corrupção desportiva activa. O colectivo de juízes entendeu que o também director do Departamento de Futebol do Gondomar SC não tinha conhecimento «do acordo entre Pinto de Sousa e José Luís Oliveira a propósito da nomeação de árbitros para jogos do Gondomar».