quinta-feira, 31 de março de 2011

Médico expulso da Função Pública por abusos sexuais ataca agora no privado

O cirurgião expulso da Função Pública há um ano, por ter cometido mais de 20 abusos sexuais no Hospital de Santa Marta (ver notícia relacionada), atacou outra doente. Depois de ser expulso do hospital público, o médico continuou a exercer numa clínica privada, pois nem a Justiça nem a Ordem dos Médicos actuaram sobre o caso, avança o Correio da Manhã.

O mais recente crime do médico de 61 anos aconteceu numa clínica de Lisboa. Quando Alcídio Rangel foi expulso da Função Pública - após um relatório da Inspecção-geral de Saúde que dava conta dos abusos sexuais - a Ordem dos Médicos não actuou e o Ministério Público só ontem pediu «urgência na avaliação deste caso».

Ao longo de mais de 30 anos, o cirurgião vascular abusava das doentes que operava às varizes. Várias mulheres, incluindo a que foi abusada na clínica privada mais recentemente, apresentaram queixa à PJ.

O médico pertencia também aos quadros da Federação Portuguesa de Futebol como médico da selecção feminina e dos escalões de formação, mesmo depois de ter sido expulso do sector público.