sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Acusação alerta para risco de libertação



Renato está acusado da morte e castração de Carlos Castro, num quarto de hotel em Nova Iorque, a 7 de Janeiro de 2011. Os jurados já estão a deliberar. E o veredicto pode ser conhecido a qualquer momento.
Para a procuradora, o arguido matou por "raiva, frustração, vergonha de ir para casa e ter de enfrentar amigos e família" – depois de ter mantido uma relação homossexual com o cronista Carlos Castro às escondidas da família, "numa performance digna de um Óscar". Maxine Rosenthal considerou que Renato é "narcisista" e fingiu gostar de Carlos Castro por "fama e luxúria".Renato Seabra: “Eu não sou homossexual, faço isto apenas pelo dinheiro.


Nota de bloguista: tem carinha de anjo