sábado, 10 de novembro de 2012

Petição para demissão de presidente do Banco Alimentar tem já 1500 assinaturas

A petição pela demissão da presidente do Banco Alimentar contra a Fome já tem quase 1500 assinaturas, iniciativa que reflete a polémica originada pelas suas declarações a defender que os portugueses terão de "empobrecer muito".
foto Arquivo
Petição para demissão de presidente do Banco Alimentar tem já 1500 assinaturas
Isabel Jonet
Os comentários de Isabel Jonet "são uma enorme falta de respeito para com os cidadãos pobres deste país que hoje sofrem o vendaval das medidas de austeridade e que estão a entrar numa situação de desespero", refere o texto da petição.
A situação em que estão os portugueses pobres "não se coaduna com as políticas de um Estado Caritativo que são defendidas pela atual presidente do Banco Alimentar Contra a Fome", acrescenta.
As declarações de Isabel Jonet num programa do canal televisivo SIC, na noite de terça-feira, deram origem a várias reações de repúdio, como do Movimento Sem Emprego que divulgou uma carta aberta com o título "Uma canja para a Jonet" a classificar de "aviltante" o nível dos comentários.
"Vamos ter que empobrecer muito, mas sobretudo vamos ter de reaprender a viver mais pobres", disse a presidente do Banco Alimentar durante o programa da SIC.
"Vivíamos muito acima daquilo que eram as nossas possibilidades", defendeu Isabel Jonet, acrescentando que "há uma necessidade permanente de consumo e de bens para uma satisfação das pessoas e que conduz à felicidade que não é real".

 Nota de bloguista: A cassete desta senhora é igual à dos partidos do governo, mas nunca dizem quem são os Portugueses que vivem acima das suas possibilidades. Será que se refere aos banqueiros, aos trafulhas e corruptos que se têm governado com esta crise financeira? Será que se refere aos jotinhas do seu partido que têm um bom cargo político? Com tanta falta de bom senso esta senhora perde toda a consideração que as pessoas de boa fé ajudavam uma boa causa. Ela que aprenda que o povo precisa, não de caridade, mas de um trabalho digno para viver decentemente, mas o seu partido no governo faz tudo para manter os seus privilégios e empurrar as pessoas para a pobreza e marginalização. Como dizia A. Garrett, será que ela sabe quantos pobres custa um rico?...