sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Caso Feteira: Testemunha diz que esteve com Duarte Lima um dia antes do crime


O Tribunal de Minas Gerais ouviu hoje, por carta precatória, a testemunha Ana Cristina Luna, advogada brasileira com quem Domingos Duarte Lima esteve em Belo Horizonte um dia antes do homicídio da portuguesa Rosalina Ribeiro.
A testemunha, arrolada pelos advogados de defesa de Duarte Lima, foi ouvida no âmbito do processo da morte da portuguesa Rosalina Ribeiro, ex-companheira de Lúcio Thomé Feteira, assassinada em Dezembro de 2009 num descampado no município de Saquarema, na região dos lagos do estado do Rio de Janeiro.
O advogado e ex-deputado do PSD Domingos Duarte Lima, que se encontra em prisão domiciliária em Portugal no âmbito de um outro processo, é acusado de ser o autor do crime.
Diante do juiz, a testemunha - que disse ter conhecido Duarte Lima numa livraria de Lisboa especializada em livros jurídicos - afirmou que esteve com o arguido no primeiro domingo de Dezembro de 2009 (dia 6), na sua casa, localizada no condomínio de Alphaville, em Belo Horizonte.
Segundo informações prestadas à agência Lusa pela assessoria do Tribunal de Minas Gerais, Ana Cristina declarou que Duarte Lima lhe disse, na ocasião, que iria ao Rio de Janeiro para se encontrar com sua cliente Rosalina Ribeiro.
Ainda segundo a testemunha, Duarte Lima comentou que Rosalina estava interessada em vender imóveis que possuía no município de Maricá, pelo que lhe pediu para providenciar uma avaliação, motivo pelo qual se realizou o encontro entre os dois.
O arguido, adiantou a testemunha, chegou-lhe a pedir uma indicação de alguma imobiliária que trabalhasse nessa região.
Domingos Duarte Lima terá ainda convidado a amiga para acompanhá-lo até o Rio de Janeiro, convite este que não foi aceite devido a «outros compromissos», declarou.
Ana Cristina disse ainda que o ex-deputado português tinha voado de Lisboa para Belo Horizonte para visitar a ex-funcionária Marlete, que estaria a fazer um tratamento num joelho e a quem já havia visitado, na mesma cidade, no mês de Setembro.
Belo Horizonte foi onde Duarte Lima alugou o carro com o qual apanhou diversas multas que comprovam que esteve no local do crime, um dia antes da morte de Rosalina