quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

PJ suspeita de fraude nas listas


Mári Andrea, responsável pelo Serviço de Otorrino do Hospital de Santa Maria (Lisboa)
As denúncias foram feitas internamente e chegaram ao conhecimento das brigadas que investigam o crime económico que, ontem, avançaram com buscas ao consultório e a casa do conceituado especialista. Mário Andrea não foi para já constituído arguido, tendo as autoridades levado os elementos que estavam nos seus computadores pessoais, para serem analisados.
Os investigadores terão também pedido o acesso às contas bancárias do médico para confirmar se houve ou não favorecimento aos doentes, a troco de dinheiro – o que configurará o crime de corrupção. Porém, mesmo que não haja contrapartidas imediatas, o caso poderá indiciar abuso de poder e/ou peculato, já que as intervenções cirúrgicas eram feitas com recurso a equipamento da unidade pública. Segundo o CM conseguiu apurar, as denúncias dão conta de que haveria doentes do seu consultório privado, que seriam casos menos graves, que passavam à frente dos doentes inscritos no Serviço Nacional de Saúde.
Este já não é o primeiro caso envolvendo o médico Mário Andrea. Em 2009, sete médicos do Hospital de Santa Maria acusaram-no de práticas contra a ética médica, por usar técnicas experimentais que prolongavam desnecessariamente intervenções cirúrgicas. Foi absolvido dessas acusações.

Clique aqui para ver mais do que é acusado.E aqui  para ver os famosos que passaram à frente na lista de outros utentes para uma operação às cordas vocais.