sexta-feira, 8 de maio de 2015

Ministério Público acusa ex-diretor geral do MAI de beneficiar amigos e maçons



Ex-diretor geral das Infraestruturas e Equipamentos foi acusado de 32 crimes de corrupção passiva. MP diz que distribuía obras pelos irmãos da maçonaria e pelos amigos das confraternizações.

Durante três anos (2011-2014), muitas obras adjudicas pelo Ministério da Administração Interna (MAI) terão obedecido apenas a dois critérios: os beneficiários ou pertenciam à maçonaria ou a um clube informal de amigo auto-intitulado "Os Pingas"
durante anos, João Correia, com a colaboração dos coarguidos Albino Rodrigues e Luísa Sá Gomes, adjudicou, por ajuste direto, 5,9 milhões de euros em obras a empresários das suas relações pessoais ao arrepio das "normas da contratação pública, da transparência e da livre concorrência". Com esta atuação, o arguido terá prejudicado o Estado em 909 mil euros.

Nota de bloguista: Veja mais uma vez como trabalham estas sociedades secretas que nos governam no parlamento e nos vão lapidando através de amigos empresários e de irmãos na seita da maçonaria, pois este video dá a entender que tudo não passa de uma farsa, pois isto é apenas um ponto de encontro para outros fins. Como é que no século XXI ainda se permite sociedades secretas. Maçonaria no seu melhor...!