sexta-feira, 24 de julho de 2015

Onde as suspeitas sobre Lula se cruzam com o caso de Sócrates



Algumas pontas tocam-se nos dois processos sobre alegados actos de corrupção cometidos dos dois lados do Atlântico e que colocaram José Sócrates, e agora Lula da Silva, na mira da Justiça. Segundo a última edição da revista Veja, um dos “delatores premiados” (suspeitos que colaboram com a investigação a troco de uma redução de pena) do caso Lava Jato – o maior processo de corrupção da história do Brasil – contou como alguns partidos brasileiros (o PT e o PMDB) cobraram uma “comissão” num negócio avultado entre um grupo de empresas que também têm ligações a Portugal.

Ricardo Pessoa, o tal “delator”, é o dono da construtora UTC, que integrava o consórcio de empresas em causa. As outras eram: a Andrade Gutierrez, accionista da Oi que fez a fusão com a telefónica portuguesa  PT, num negócio que teve intervenção política ao mais alto nível (no tempo em que Lula e Sócrates estavam em funções),  e cujo presidente Otávio Azevedo se encontra detido no Brasil, depois de ter sido administrador da empresa luso-brasileira, tendo saído após revelação de que havia 900 milhões de dívida do Grupo Espírito Santo nas contas da PT ; a Odebrecht, que venceu o concurso para a construção do troço Poceirão-Caia do TGV, em parceria com o Grupo Lena, do qual foi administrador, até 2009, Carlos Santos Silva, o amigo e financiador de José Sócrates; e, por fim, a cimenteira Camargo Corrêa, de que foi administrador para África Armando Vara, recentemente detido na Operação Marquês.

Veja aqui a notícia completa.

Nota de bloguista: Vejam como se governou José Sócrates através do governo, que não tem fim à vista, vamos ver como tudo isto vai acabar.