sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Procurador suspeito de corrupção


O Ministério Público,  imputa-lhe o crime de corrupção activa, como co-autor, em parceria com Manuel Vicente (braço empresarial de Eduardo dos Santos). Os outros dois arguidos, segundo o Diário de Notícias, são o Banco Privado Atlântico, que foi um dos alvos das buscas realizadas esta terça-feira no âmbito da chamada operação Fizz, e uma responsável da Primagest, uma subsidiária da petrolífera angolana Sonangol, por onde passaram as transferências na ordem das centenas de milhares de euros que terão servido para pagar ao procurador Orlando Figueira.

Os investigadores suspeitam que as luvas terão sido pagas para o procurador arquivar, em Janeiro de 2012, uma investigação destinada a apurar a origem dos 3,8 milhões de euros pagos pelo vice-presidente de Angola, Manuel Vicente, por um apartamento de luxo no condomínio Estoril Sol Residence, em Cascais.

Nota de bloguista: Luaty Beirão: em Angola, “as leis são só para inglês ver”. Luaty Beirão tem razão, em Portugal depois também não dá em nada porque o sistema judicial funciona com pessoas destas, Como por exemplo o juiz e o notário, irmãos deste senhor, Florindo Beja que pede por justiça à 18 anos à porta da Procuradoria Geral da República portuguesa, considerado morto-vivo...