quarta-feira, 23 de março de 2016

Um encontro histórico “para que as pessoas saibam que a religião é importante"


Marcelo Rebelo de Sousa fez história ao visitar a Mesquita de Lisboa no dia da sua inauguração. Entre as 18 religiões presentes não houve dúvidas sobre a importância do evento, nem de que Portugal, neste campo, “é exemplar”

Com este evento na mesquita a questão nem se pôs e a segurança à volta do evento estava claramente relaxada. Sinal claro, também, de que as comunidades religiosas em Portugal não são vistas como ameaça.

A comunidade muçulmana em Lisboa repudia os atentados de Bruxelas. O imã David Munir defende que terror não é compatível com a fé, seja ela qual for.
“Infelizmente, houve mais um atentado. Infelizmente, os que o praticaram professam a religião islâmica e o Islão não tem nada a ver com isso. Estamos juntos para dizer não ao terrorismo”, disse o imã da Mesquita Central de Lisboa, em declarações aos jornalistas, no final de uma homenagem às vítimas dos ataques desta terça-feira, na Bélgica.

Veja aqui um ensaio sobre o que se passa n'A mente do Terrorista Suicida.

Veja aqui em detalhe a cerimónia de inauguração.

Nota de bloguista: todos os outros imãs de todas as outras mesquitas do mundo inteiro deveriam de vir a público manifestar a mesma opinião do sheike David Munir. Ao fazê-lo estavam a distanciar-se ainda mais do terrorismo praticado por alguns membros muçulmanos. Com este evento David Munir deixou bem claro que a religião islâmica nada tem haver com os atos terroristas. Se houvesse encontros inter-religiosos em muitos outros países o mundo estaria mais unido e saberia que não é a religião islâmica que produz estes terroristas, mas sim a ganância humana.