quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Guerra aberta entre os trabalhadores no VIP GRAND LISBOA & SPA


Nota de bloguista: Trabalhadores usados pelas próprias chefias para contribuírem para o despedimento de alguns colegas, para assegurarem o seu posto de trabalho, mesmo que ainda assim corram determinados riscos, de virem a ser penalizados com o seu próprio despedimento, como tem acontecido com alguns deles.
Estas pessoas não temem nada do que lhes possa acontecer, pensando que todas as pessoas confiam nelas e em tudo o que fazem e dizem para contribuírem para os despedimento dos colegas. Não imaginam que mais tarde ou mais cedo tudo se sabe sobre a forma como foram usados. Muitas das situações confessadas por eles, para adquirirem algum protagonismo dentro da empresa, mesmo que alguns despedimentos por eles causados tenham sido incorretos.
Tudo isto se deve à participação de Patrícia Nogueira, que se diz diretora do VIP GRAND, senhora perturbada mentalmente pelo facto de ter sofrido agressões domésticas pelo seu marido, tendo sido descoberta em casa através de uma colega que ligou para a polícia após a sua ausência prolongada, tendo sido esta mesma colega colocada noutro hotel com a conivência desta senhora, assim como outros rececionistas, pois esta senhora leva o dia todo no "diz que disse" cheia de problemas, ao telemóvel no meio da rua, de cigarro na mão (algo proibido, como podemos comprovar pelo documento), tentando ver qual é a pessoa que ela irá atacar. Esta senhora não contribui em nada para o bem da empresa e deveria de ser tratada. Vejam como uma pessoa doente destrói uma empresa.