sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

acordo com Red Bull


Chega-se à conclusão que Lisboa ofereceu uma autêntica mina de ouro à Red Bull para a desviar de onde antes se realizava", acusou Santana Lopes, ontem, em conferência de imprensa.

O vereador chamou os jornalistas e, antes de falar, exibiu um vídeo com declarações de António Costa, a 17 de Dezembro, a afirmar que o preço da prova em Lisboa seria o mesmo que foi pago no ano passado no Porto e em Gaia (800 mil euros divididos pelas duas autarquias).

Sem demoras, Santana passou ao ataque, referindo o protocolo já assinado pela ATL e a Red Bull e que prevê um apoio de 3,5 milhões de euros, um montante onde 50% será suportado pela Câmara de Lisboa, 25% pela Câmara de Oeiras e 25% pela ATL. "Onde antes o risco era dos privados, em Lisboa passa a ser das entidades públicas", frisou Santana Lopes. "Têm que ser extraídas consequências políticas", sublinhou.

Um dia antes, o protocolo não chegou a ser votado na reunião do Executivo municipal, que decorreu à porta fechada, e que mereceu de Santana Lopes o seguinte comentário: "Nenhum de nós tinha assistido a algo semelhante!".