sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

BERLUSCONI PEDE CONSELHOS A SÓCRATES

Documentos entregues ao Parlamento italiano pelos magistrados de Milão encarregados de investigar alegações de que o primeiro-ministro Sílvio Berlusconi terá pago por sexo com menores identificam uma segunda prostituta, alegadamente paga com jóias e outros presentes, que frequentou as festas privadas de "il Cavaliere" antes de cumprir 18 anos.

Íris Berardi, descrita como uma "conhecida prostituta" de nacionalidade brasileira, era menor de idade quando frequentou festas nas villas do primeiro-ministro em Milão e na Sardenha, em Novembro e Dezembro de 2009. "Em troca da sua repetida participação nas festas de Berlusconi", dizem os investigadores, a jovem terá recebido "colares, pulseiras, pendentes e outras jóias", apreendidas pela polícia na sua casa.

Os novos detalhes da investigação, vertidos em 227 páginas acrescentadas ao processo que já leva mais de 600, fizeram aumentar a pressão sobre Berlusconi, que continua a desvalorizar o inquérito e a acusar os magistrados de Milão de conduzir uma "campanha pessoal" contra si com motivações políticas.




A oposição em bloco voltou ontem a exigir a demissão do primeiro-ministro, considerando que a sua manutenção em funções é "indefensável" e que, "para o bem do país", os seus aliados conservadores devem retirar-lhe a confiança política.