quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Ribeiro e Castro acusa Vaticano de colaborar na 'fraude' dos feriados

"Expresso a minha indignação por esta história que é repetidamente contada de que houve uma suspensão de quatro feriados, quando o que houve foi uma eliminação. O artigo 10º da lei 23/2012, de 25 de junho, elimina os feriados sem apelo nem agravo e, portanto, não há nenhuma previsão nem nenhuma obrigação legal de em cinco anos reavaliar a decisão", afirmou Ribeiro e Castro à Lusa.
O deputado democrata-cristão, que é católico praticante, acusa a Igreja Católica e o Vaticano, com quem o Governo anunciou ter chegado a acordo para a eliminação dos feriados religiosos, como o de 1 de novembro, de colaborar "neste logro".